Livros

LIVROS

Livros publicados/organizados ou edições

Pedagogia da Alteridade

Baixar da Biblioteca Virtual da UNESCO em PDF. Clicar sobre a imagem acima e depois sob a sigla POR

1.

PIERONI, V.; FERMINO, A.; CALIMAN, G. Pedagogia da Alteridade: para Viajar a Cosmópolis. Brasília: Liber, 2014, 239 p. (ISBN 978-85-7963-103-0).

O livro “Pedagogia da Alteridade: para Viajar a Cosmopolis”, de autoria de Vittorio PIERONI, Antonia FERMINO e Geraldo CALIMAN foi apresentado na Sala de Imprensa do Vaticano. A apresentação, sob convite de um grupo ligado à Rádio Vaticana, aconteceu na Sala Marconi do Prédio da Radio Vaticana na tarde de sábado do dia 29 de março. O primeiro, um italiano; a segunda, uma pesquisadora cabo-verdiana radicada na Itália; o terceiro, um italo brasileiro: todos trabalharam juntos no Instituto de Sociologia da Universidade Salesiana de Roma (1988-2003). E agora se debruçam sobre a questão da educação intercultural na perspectiva da Pedagogia Social. A Declaração Universal da UNESCO sobre a Diversidade Cultural afirma que “…a diversidade cultural é, para o gênero humano, tão necessária como a diversidade biológica para a natureza. Nesse sentido, constitui patrimônio comum da humanidade e deve ser reconhecida e consolidada em beneficio das gerações presentes e futuras.” O respeito à diversidade cultural é um pilar essencial para que a humanidade possa construir uma cultura de paz e garantir um mundo melhor para todos. Este livro se propõe a discutir as relações entre diferentes culturas, sobretudo quando existe a interferência de outros fatores que tornam difícil a convivência entre elas. O livro aborda ainda a questão dos movimentos migratórios, assunto sobre o qual a UNESCO também se debruça, sobretudo no sentido de garantir os direitos das populações que migram, especialmente os direitos humanos fundamentais. Os sistemas educativo-formativos estariam, hoje, em condições de desconstruir mecanismos etnocêntricos para construir um “homem com dimensão transcultural?”  Estariam tais sistemas aptos a formar um homem com capacidade de dialogar com a diversidade, respeitoso dos valores da alteridade? Estamos seguros que a leitura deste  livro contribuirá para trazer luz a questões fundamentais do nosso tempo.

Violências e Direitos Humanos: Espaços da Educação

Baixar da Biblioteca Virtual da UNESCO em PDF. Clicar sobre a imagem acima e depois sob a sigla POR

2.

CALIMAN, G. (Org.). Violências e Direitos Humanos: Espaços da Educação. Brasília: Liber Livro, 2013, 200 p. [ISBN 978-85-7963-092-7]

Uma contribuição conjunta de uma dezena de pesquisadores com a coordenação do Prof. Geraldo Caliman, Coordenador da Cátedra UNESCO de Juventude Educação e Sociedade: do Brasil (Candido Gomes, Carlos Angelo de Meneses Sousa, Célio da Cunha, Geraldo Caliman, Leila Bijos, da Universidade Católica de Brasília), da Alemanha (Bernd Fichtner, Maria Benites da Universidade de Siegen) e do México (Maria Teresa Prieto Quezada e José Claudio Carrillo Navarro da Universidade de Guadalajara). Vários dos coautores são doutorandos da UCB (Denise Lima, Diogo Acioli, Ivar Vasconcelos, Loni Manica, Olmira Dassoler): eles apresentam, junto aos seus orientadores, as suas pesquisas relacionadas ao tema, e reforçam a participação dos doutorandos nos projetos da Cátedra e a Cátedra como escola de pesquisa na área de ciências humanas. O livro foi publicado pela UNESCO-Liber Livro. Sob análise em “Violências e Direitos Humanos: Espaços da Educação” se encontram duas áreas conceituais: a questão do mal-estar social dos jovens que se manifesta em expressões de violência; e o lugar da educação entendido aqui como espaços de prevenção seja em ambientes escolares que em não-escolares. No centro do objeto de pesquisa não se situa tanto o “problema” da violência. Entendemos as manifestações de violência como sintomas de um mal estar que subsiste na sociedade. Sociedades violentas colhem os frutos de uma cultura de violência subjacente às relações sociais que nela intercorrem. Se existem problemas, estes seriam encontrados nas estruturas e nas culturas violentas que se reproduzem dentro das relações que se têm desenvolvido na sociedade. Neste sentido as drogas e as violências são considerados aqui expressões de um mal-estar, uma maneira de exprimir, de dizer que direitos fundamentais estão sendo negados no itinerário de quem deles precisa para responder aos desafios que a sociedade mesma impõe à infância e à juventude.

Paradigmas da Exclusão Social

Baixar PDF Paradigmas da Exclusão Social

3.

CALIMAN, G. . Paradigmas da exclusão social. Brasilia: Universa, UNESCO, 2008. 368 p. (ISBN 978-85-60485-18-5).

Baixar em PDF do UNESDOC, a Biblioteca On Line da UNESCO clicando no link “POR

O livro Paradigmas da Exclusão Social é um manual de Sociologia do Comportamento. Repassa as diferentes correntes que, ao longo dos últimos 3 séculos interpretaram o comportamento, a delinqüência, a transgressão. Essas correntes são aqui denominadas paradigmas, pois representam verdadeiras escolas sociológicas em seu tempo: o paradigma utilitarista do século 18, por exemplo, acentua a pena e a certeza da pena como estratégias preventivas e critica a impunidade como matriz geradora de violência e delinqüência. O paradigma positivista, por sua vez, considera o delinquente como “criminoso, homem selvagem e ao mesmo tempo doente” (LOMBROSO, 2001), cujos traços de caráter e comportamento demonstram, entre outras características, o uso de tatuagem, sensibilidade menor à dor, grande acuidade visual, o mancinismo, o caráter atávico, a grande insensibilidade moral e afetiva, as paixões (álcool, jogo, libido, vaidade) etc. O paradigma social, através da “Escola de Chicago” afirma que a ocorrência de processos de marginalização são mais frequentes nas áreas geográficas caracterizadas pela desorganização urbana e social (favelas, áreas urbanas degradadas etc). O paradigma interacionista entende a delinqüência como produtos da construção social, que nascem dentro de um processo interativo no qual tomam parte quatro elementos: o sujeito que comete a transgressão, a norma que a sanciona, a reação social e o controle social. E assim por diante são estudados também os paradigmas funcionalista, fatorialista (risco social), e o paradigma da exclusão social.
O livro é voltado para profissionais que atuam na área social, particularmente educadores sociais, psicólogos, assistentes sociais etc.

Desvio Social e Delinquencia Juvenil

Teorias e Fundamentos da Exclusão Social

4.

CALIMAN, G. Desvio social e delinquência juvenil: teorias e fundamentos da exclusão social. 1. ed. Brasília: Universa, 2006. v. 1. 344 p. [ISBN 85-86591-84-x]

Teorias sociológicas interpretativas do Desvio Social ao longo da Historia dos últimos séculos.

A

AA

A

A

A

A

 A

5.

MILANEZI, F. (Org.) ; CALIMAN, G. (Org.) ; ZAMPPA, A. (Org.) ; FAÉ, R. (Org.) ; MARIANO, R. (Org.) ; DALTON, Andreia (Org.) ; DUARTE, Larisse (Org.) ; ALVES, L. (Org.) ; BERGER, Tatiane (Org.) . Catálogo de entidades prestadoras de serviços à infância e à adolescência na região metropolitana de Vitória. 1. ed. Vitória: Faculdade Salesiana de Vitória, 2006. 122 p.

6.

CALIMAN, G. (Org.) ; BISSOLI, N. de S. (Org.) ; GOMES, Adriana (Org.) ; MIYAMOTO, Samira Tatiyama (Org.) ; MOLINA, Maria Del Carmen Bisi (Org.) . Guia de Normalização de Documentos Científicos. 1. ed. Vitória: FSV, 2004. 76 p.

A

A

Lavoro non Solo: Lavoratori Tossicodipendenti Modeli Sperimentali d'Intervento

7.

CALIMAN, G. ; PIERONI, V. Lavoro non solo. Lavoratori tossicodipendenti: modelli sperimentali d’intervento. Milano: Franco Angeli, 2001. 243 p. [Em lingua italiana]

Pesquisa financiada pelo Ministerio do Trabalho e Previdência Social italiano que serviu para obtenção do pós-doutoramento. O cenário da toxicodependencia está mudando radicalmente: com a expansão do mercado das substâncias psicoativas (ecstasy, cocaína e semelhantes…) mudaram contratualmente as tipologias dos consumidores, as modalidades de consumo (caracterizado pelo poli-consumo) e os danos que o policonsumo provoca a nível psicofisico. O principal “culpado” é individuado na fragmentada personalidade dos consumidores, sedentos de qualquer substancia em condições de produzir estados de ânimo, misturas explosivas que representam um “impulso” para o vazio existencial sem projetualidade e para culturas alérgicas à vida quotidiana e à vida real. O fenômeno permanece submerso e dificilmente captado pelos dados estatísticos oficiais; o consumo de drogas convive pacificamente com os “normais” estilos de vida de faixas de idade e categorias sociais as mais variadas. O que não parece mudar, no entanto, é o sistema preventivo para a toxicodependência. O processo de recuperação é ainda enfrentado com tradicionais programas terapêuticos longos, os quais, se por um lado conservam sua eficácia nos conteúdos e nos valores, por outro lado requerem renovação urgente nos métodos e nas estratégias de intervenção. O volume pretende dar respostas à necessidade de intervenções alternativas aos programas tradicionais. Emergem de uma pesquisa-ação desenvolvida em 18 Comunidades Terapêuticas da Federação Italiana de Comunidades Terapêuticas, em colaboração com o Instituto de Sociologia da Universidade Pontificia Salesiana de Roma.

A

A

Desafios Riscos Desvios

Desafios Riscos Desvios

8.

CALIMAN, G. Desafios riscos desvios. Brasília: Universa, 1998. v. 1. 300 p. [ISBN  85-86591-05-x]

O prof. Roberto da Silva, expoente da Pedagogia Social no Brasil, professor livre docente da USP, organizador do livro “Pedagogia Social” (São Paulo: Expressão e Arte, 2009) afirma que:

“a produção acadêmica brasileira mais específica sobre o tema (da Pedagogia Social) tem inicio com o livro Desafios, Riscos e Desvios (1998), de Geraldo Caliman, pedagogo brasileiro que concluiu mestrado em 1990 e Doutorado em 1995 em Pedagogia Social na Università Pontificia Salesiana, em Roma, e depois coordenou este mesmo curso. 

Conteúdo: A descrição e a interpretação das necessidades Humanas e do desvio comportamental partem aqui da categoria interpretativa do risco social: necessidades permanentemente frustradas tendem a provocar reações irracionais, marginalizastes e delinquenciais. Mas, tal tendência poderia ser modificada se os jovens que sofrem condições de privação de suas necessidades encontrassem a mão amiga das instituições educativas?

21-03-14-160120169.

CALIMAN, G. . Normalità devianza lavoro. Giovani a Belo Horizonte. 1. ed. Roma: LAS, 1997. v. 1. 470 p.

Pesquisa tese de Doutoramento e publicada em italiano na Editora da Università Pontificia Salesiana de Roma.

O autor analisa a situação de adolescentes pobres que integram as instituições socioeducativas voltadas à educação profissionalizante no/pelo trabalho. Eles buscam, alem de uma ajuda para a sobrevivência imediata, uma via alternativa de qualificação profissional para se integrarem ao mercado de trabalho. Para melhorar sua formação cultural frequentam a escola pública noturna. Uma outra amostragem é formada por jovens da classe média e alta: eles frequentam as melhores escolas no período diurno e dispõem de todo o tempo possível par a própria formação escolar. Foram entrevistados 1400 adolescentes, entre trabalhadores pobres; e estudantes da classe média.

10.

CALIMAN, G. . Giovani lavoratori: povertà e rischio di devianza: indagine sui bisogni dei giovani lavoratori appartenenti alle cooperative di lavoro minorile a Belo Horizonte, Brasile. Estratto della Tesi Dottorale.. Roma: Università Pontificia Salesiana, 1995. 141 p.Capítulos de livros publicados

CAPITULOS DE LIVROS:

  1. MANICA, L.; DASSOLER, O.; CALIMAN, G. Inclusão de Jovens com Deficiência na Educação Profissional: Possibilidades e Dificuldades. In: CALIMAN, G. (Org.). Violências e Direitos Humanos: Espaços da Educação. Brasília, Liber Livro, 2013, p. 173-194.
  2. CALIMAN, G. (Org.). Violências e Direitos Humanos: Espaços da Educação. Brasília, Liber Livro, 2013, p. 200.
  3. GOMES, C.A.; SOUSA, C.A.; CALIMAN, G.; CAMARA, J. Educação para a cidadania. In: TODOS PELA EDUCAÇÂO (Org.). Justiça pela Qualidade na Educação. São Paulo: Saraiva, 2013, p. 687-707 (ISBN 9-78-85-02-19576-9)
  4. CALIMAN, G.; BOLWERK, D.; SANTOS, J.; SOUZA, N.; THIEL, R. Formação do Educador Social através do Ensino a Distância. In: AMPARO, D.; ALMEIDA, S.; BRASIL, K.; CONCEIÇÂO, M.I.; MARTY, F. Adolescência e violência: intervenções e estudos clínicos, psicossociais e educacionais. Brasília: Liber; UnB, 2012, p. 181-194
  5. SIVERES, L.; SILVA, A.R. da; GALVÃO, A.C.T.; CALIMAN, G. Percurso Aprendente do Estudante na Extensão Universitária. In: SIVERES, L. (Org.). Processos de Aprendizagem na Extensão Universitária. Goiânia: Editora da PUC Goiás, 2012, p. 81-96
  6. CALIMAN, G. Pedagogia Social: Contribuições para a Evolução de um Conceito. In: SILVA, R. et al. (Org.). Pedagogia Social: Contribuições para uma Teoria Geral da Educação Social. São Paulo: Expressão e Arte, 2011, pp. 236-259. [ISBN 9788579350306]
  7. CALIMAN, G. The Concept of Social Pedagogy Based on the Praxis of Social Work in Brazil. In: Buchmann, U.; Diezemann, E.; Huisinga, R.; Kohler, S.; Zielke, T. (Org.), Internationale Perspektiven der Subjektentwicklungs- und Inklusionsforschung. Frankfurt: G.A.F.B.-Verlag, 2011, pp. 290-307. [ISBN 9783925070877]
  8. CALIMAN, G. . A pedagogia social na Itália. In: SOUZA NETO, João Clemente de; SILVA, Roberto da; MOURA, Rogério. (Org.). Pedagogia Social. São Paulo: Expressão e Arte; UNESCO, 2009, v. , p. 51-60.
  9. CALIMAN, G. . Necesidades. In: PRELLEZO, José Manuel. (Org.). Diccionário de Ciencias de la Educación. Madrid: Editorial CCS, 2009, v. , p. 829-831.
  10. CALIMAN, G. . Instituciones: e jóvenes. In: PRELLEZO, Jose Manoel. (Org.). Diccionario de Ciencias de la Educacion. Madrid: CCS, 2009, v. , p. 628-630.
  11. CALIMAN, G. . Pedagogía social. In: PRELLEZO, Jose Manoel. (Org.). Diccionario de Ciencias de la Educacion. Madrid: CCS, 2009, v. , p. 889-890.
  12. CALIMAN, G. . Bisogni. In: PRELLEZO, J. Manual ; NANNI, Carlo; MALIZIA, Guglielmo. (Org.). Dizionario di Scienze dell’Educazione. Roma: LAS, 2008, v. , p. 153-155.
  13. CALIMAN, G. . Istituzione: e giovani. In: PRELLEZO, J. Manual ; NANNI, Carlo; MALIZIA, Guglielmo. (Org.). Dizionario di Scienze dell’Educazione. Roma: LAS, 2008, v. , p. 613-614.
  14. CALIMAN, G. . Pedagogia Sociale. In: PRELLEZO, J. Manual ; NANNI, Carlo; MALIZIA, Guglielmo. (Org.). Dizionario di Scienze dell’Educazione. Roma: LAS, 2008, v. , p. 858-859.
  15. CALIMAN, G. . Avaliação de programas socioeducativos. In: Luiz Síveres. (Org.). Avaliação na Educação Superior: distintos olhares. 1 ed. Taguatinga: Editora Universa, 2007, v. 1, p. 121-154.
  16. CALIMAN, G. . Pedagogia social de rua: entre acolhida e formação. In: SOUZA NETO, João Clemente de; NASCIMENTO, Maria Letícia B. P.. (Org.). Infância: violência, instituições e políticas públicas. São Paulo: Expressão e Arte, 2006, v. 1, p. 167-178.
  17.  PRELLEZO, José Manuel ; GARCIA, J. M. ; CALIMAN, G. . La investigación sociológica. In: Prellezo, José Manuel;Garcia, Jesus Manuel;Caliman, Geraldo. (Org.). Metodología y técnicas del trabajo científico. Madrid: Central Catequística Salesiana, 2003, v. , p. 180-187.
  18. CALIMAN, G. . Educazione religiosa e prevenzione. In: NANNI, Carlo; BISSOLI, Cesare. (Org.). Educazione religiosa dei giovani all’alba del terzo millennio. Roma: LAS, 2001, v. , p. 97-205.
  19. CALIMAN, G. . La via psicologica della droga. In: MALIZIA Guglielmo;MAURIZIO Lucillo;CHISTOLINI Sandra;COGGI Cristina;RONCO Albino. (Org.). Le Scienze Sociali. 1 ed. Torino: Società Editrice Internazionale, 1999, v. , p. 165-170.
  20. CALIMAN, G. . Coesione di gruppo e devianza. In: MALIZIA Guglielmo;MAURIZIO Lucillo;CHISTOLINI Sandra;COGGI Cristina;RONCO Albino. (Org.). Scienze Sociali. Torino: Società Editrice Internazionale, 1999, v. , p. 171-176.
  21. CALIMAN, G. . Uso del computer. In: MALIZIA Guglielmo;MAURIZIO Lucillo;CHISTOLINI Sandra;COGGI Cristina;RONCO Albino. (Org.). Scienze Sociali. 1 ed. Torino: Società Editrice Internazionale, 1999, v. , p. 147-150.
  22. CALIMAN, G. . Ambito sociologico. In: José Manuel PRELLEZO;José Manuel GARCIA. (Org.). Invito alla ricerca. Metodologia del lavoro scientifico. 1 ed. Roma: LAS, 1998, v. , p. 187-196.
  23. CALIMAN, G. . Prevenzione del disagio: problemi e prospettive. In: Luc VAN LOOY;Guglielmo MALIZIA. (Org.). Formazione professionale salesiana. Proposte in una prospettiva multidisciplinare. 1 ed. Roma: LAS, 1998, v. 1, p. 213-228.
  24. CALIMAN, G. . Ulica kot izhodiscna tocka. Ena od interpretacij vzgojnih ukrepov med mladimi na ulici. In: BALIGAC Andrej;PICIGA Irena;METELKO Tanja;KOTNIK Martina. (Org.). Mladi, ulica, prihodnost. Zbornik predavanj. Ljubljana: Salve, 1998, v. , p. 59-84.
  25. CALIMAN, G. . Druzbe za zaposlovanje mladoletnih in sprejemni centri za otroke z ulice. In: BALIGAC Andrej;PICIGA Irena;METELKO Tanja;KOTNIK Martina. (Org.). Mladi, ulica, prihodnost. Ljubljana: Salve, 1998, v. , p. 124-135.
  26. CALIMAN, G. . Sondaggio sull’America. In: VAN LOOY Luc;MALIZIA Guglielmo. (Org.). Formazione professionale salesiana. Indagine sul campo. 1 ed. Roma: LAS, 1997, v. , p. 217-236.
  27. CALIMAN, G. . Bisogni. In: PRELLEZO José Manuel;NANNI Carlo;MALIZIA Guglielmo. (Org.). Dizionario di scienze dell’educazione. Torino: Società Editrice Internazionale, 1997, v. , p. 138-140.
  28. CALIMAN, G. . Istituzione e giovani. In: PRELLEZO José Manuel;NANNI Carlo;MALIZIA Guglielmo. (Org.). Dizionario di scienze dell’educazione. Torino: Società Editrice Internazionale, 1997, v. , p. 561-562.
  29. CALIMAN, G. . Pedagogia sociale. In: PRELLEZO José Manuel;NANNI Carlo;MALIZIA Guglielmo. (Org.). Dizionario di scienze dell’educazione. Torino: Società Editrice Internazionale, 1997, v. , p. 803-803.

Textos em jornais de notícias/revistas

1.    CALIMAN, G. . Adolescente: vale a pena trabalhar?. Revista Gestão Universitária, Edição 26, v. 26, 20 ago. 2004.
2.    CALIMAN, G. . O futuro do trabalho e o trabalho do futuro (2). Jornal de Opinião, Belo Horizonte, p. 6 – 7, 08 jul. 1996.
3.    CALIMAN, G. . O futuro do trabalho e o trabalho do futuro (1). Jornal de Opinião, Belo Horizonte, p. 6 – 7, 01 jul. 1996.
4.    CALIMAN, G. . Le baby gang. Terzo Settore, Catania (Sicilia), p. 14 – 15.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos

1.    CALIMAN, G. ; COSTA E SILVA, A.P. . Curso de Formação de Educadores Sociais a Distância (Brasil). In: XXIII SIPS Seminario Interuniversitario de Pedagogia Social, 2009, Barcelona. Servicios sociales y comunidad: Respuestas frente a la crisis socioeconomica. Madrid : Sociedad Iberoamericana de Pedagogía Social, 2009. v. 1. p. 1-11.
2.    CALIMAN, G. . Fundamentos teóricos e metodológicos da pedagogia social na Europa (Itália). In: Simpósio de Pós Graduação: Pedagogia Social, 2006, São Paulo. Anais do I Congresso e Simpósio Internacional de Pedagogia Social, 2006.
3.    CALIMAN, G. . Matrizes estruturais e culturais na geração da violência nas escolas. In: II Congresso Ibero-Americano sobre Violências nas Escolas, 2005, Belém. II Congresso Ibero-Americano sobre Violências nas Escolas. Belém : Unama, 2005.
4.    CALIMAN, G. . Política de Atendimento à Infância e à Adolescência na Região Metropolitana de Vitória. In: IX Encontro Nacional de pesquisadores em Serviço Social: os desafios da pesquisa e produção do conhecimento em serviço social., 2004, Porto Alegre. Anais do IX Encontro Nacional de Pesquisadores em Serviço Social. Porto Alegre, 2004.
5.    CALIMAN, G. . Educazione religiosa e prevenzione. In: Educazione Religiosa dei Giovani All’Alba del Terzo Millennio, 2001, Roma. Educazione religiosa e prevenzione: le proposte sul piano sociale: Orientamenti Pedagogici. Torino : Società Editrice Internazionale, 2001. v. 47. p. 574-583.
6.    CALIMAN, G. . Um Modelo de educação para menores em dificuldade e a proposta do voluntariado.. In: IV CONGRESSO SALESIANO DE EDUCAÇÃO, 2001, AGUAS DE LINDOIA, 2001.
7.    CALIMAN, G. . L’umanesimo pedagogico di Don Bosco in azione. Un modello interpretativo di intervento educativo per ragazzi di strada. In: Convegno Internazionale Globalizzazione e Umanesimo Latino., 2000, New York. Convegno Internazionale Globalizzazione e Umanesimo Latino. Atti del Convegno. Vol I. Treviso : Fondazione Cassamarca, 2000. v. 1. p. 227-265.
8.    CALIMAN, G. . Le bande giovanili nel contesto americano. In: Congresso “Teppisti per noia. La nuova violenza delle baby-gang” (13 maggio 2000)., 2000, Roma – Italia. Le bande giovanili nel contesto americano. In: Attualità in Logoterapia, 2000. p. 29-60.
9.    CALIMAN, G. ; PIERONI, Vittorio . Tossicodipendenza e lavoro: i risultati di una ricerca. In: Ricerca, devianza, educazione: percorsi possibili, 2000, Viterbo. Lavoro e tossicodipendenza. Le nuove frontiere d’intervento delle Comunità Terapeutiche: Orientamenti Pedagogici. Torino : Società Editrice Internazionale, 2000. p. 233-260.
10.    CALIMAN, G. . Pedagogika ulice. In: Mladi Ulica Prihodnost, 1998, Ljubljana. Pedagogika ulice. Ljubljana : Salve, 1998.
11.    CALIMAN, G. . Interventi educativi nei confronti di minori a rischio: esperienze e proposte in funzione di un progetto globale.. In: Sport e Disagio Giovanile: 2º Conferenza Regionale, 1998, Roma, 1998.

  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 349 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: