Arquivo diário: 10/11/2012

Educação do Campo na Universidade Federal do Espirito Santo


O prof. G. Caliman proferiu, no dia 05 de novembro, uma palestra intitulada “Educação Social e Pedagogia Social no Brasil”, junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação do Centro de Educação da UFES. Na parte da tarde participou como Examinador Externo, de uma Banca Examinadora da Defesa de Dissertação de Mestrado de José Pacheco de Jesus sobre o tema “A Práxis Pedagógica no Centro Estadual Integrado de Educação Rural: Um Estudo em Educação do Campo e Agricultura Familiar em Vila Pavão-ES”. A pesquisa apresentada por José Pacheco apresenta-se como uma descrição, análise e avaliação de um programa de Educação do Campo já com uma história de três décadas no ES. O Grupo de Pesquisa de Educação do Campo da UFES, coordenado pelo Prof Erineu Foerste tem se mostrado muito produtivo, com múltiplas plicações de artigos e livros. O link com o Programa de Educação da UFES parece ter entre seus possíveis resultados uma parceria (acordo bilateral para execução de pesquisas) entre UFES e Universidade Católica de Brasília em torno das atividades da Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade.

Livro Culturas de violência, Culturas de paz


Imagem

Participam com capítulos os profs. Geraldo Caliman [Educação Social entre Redes Afetivas e Institucionais], coordenador da Cátedra como tambem os parceiros da Cátedra, as profas Azucena Ochoa Cervantes e Evelyn Diez-Martínez, da Universidade de Querétaro (Mexico), e a profa Sonia Koehler do Observatório de Violências de Lorena SP. A presente obra, organizada pelos Profs. Cândido Gomes,  Grasiele Nascimento e Sonia Koehler,  é resultado dos eventos acadêmico-científicos II SEMIDI – Seminário Internacional de Direito – e II SEVILES – Seminário de Violências, Educação e Saúde – apoiados (e em cooperação efetiva) pela Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade, liderada pela Universidade Católica de Brasília, congregando instituições nacionais e internacionais que reúnem esforços no sentido de potencializar o ensino, a pesquisa e a extensão priorizando os estudos sobre as violências e a cultura de paz. Como mencionado no prefácio pelo Dr. Lucien Muñoz, representante da UNESCO no Brasil, “construímos uma praça intelectual, à qual são convidados interlocutores para pensar, sentir e, se possível, agir”. São 15 textos que revelam sempre pelo prisma da interdisciplinariedade – os resultados de estudos e pesquisas imbricados e entrelaçados ao tema maior dos Seminários, principalmente o de Direitos Humanos: Culturas de Violência, Culturas de Paz.