Arquivo da categoria: Eventos & Congressos

Congressos, eventos, seminários ligados ao Programa de Mestrado e Doutorado em Educação da UCB


Apresentamos a nova publicação “Internacionalização da Educação Básica e Superior: Desafios, Perspectivas, Experiências“, organizada pelo Prof. Dr. Renato Brito, com o selo da Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade da Universidade Católica de Brasília. Estamos vivendo um cenário mundial cada vez mais globalizado que tem impulsionado, dentre
outras coisas, o processo de internacionalização da Educação. O Ensino Superior iniciou esse processo, mas atualmente já se verifica também um gradativo processo de internacionalização na Educação Básica, refletido pela oferta das chamadas escolas internacionais e bilíngues, além da seleção de estudantes ainda no ensino médio para fazer o ensino superior fora de seus respectivos países de origem. Este novo cenário mundial exige não só uma troca de experiências mais ampliada e diversificada, como também a aquisição e o desenvolvimento, por parte dos estudantes, de competências e habilidades para um mundo do trabalho cada vez mais dinâmico, em decorrência das descontinuidades tecnológicas cada vez mais frequentes. É dentro deste cenário que se insere a importante iniciativa do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Católica de Brasília e da Cátedra UNESCO-UCB ao promover o Congresso Internacional intitulado Internacionalização da Educação Básica e Superior: Desafios, Perspectivas e Experiências, que dentre outros produtos, gerou a edição deste livro, organizado pelo Prof. Dr. Renato de Oliveira Brito, composto por 17 capítulos escritos por pesquisadores brasileiros e estrangeiros, participantes, em sua larga maioria, do Congresso em questão. [Pode ser baixado em PDF com este link].

 

Contribuições do Sistema Preventivo de Dom Bosco para a Educação Social


CALIMAN, G. Contribuições do sistema preventivo de Dom Bosco para a Educação Social. Revista de Ciências da Educação, Americana, ano XXI, n. 45, p. 69-86, jul./dez. 2019.

Considerando que a construção de um bom clima escolar é funcional para a educação e a aprendizagem, o artigo apresenta brevemente uma releitura do Sistema Preventivo de Dom Bosco à luz dos princípios metodológicos da Pedagogia Social. Parte-se de quatro dimensões muito utilizadas na Pedagogia de Dom Bosco para os jovens do século XIX e que se encontram particularmente presentes na prática da Educação Social dos tempos de hoje. A dimensão racional e científica é orientada à aquisição de conhecimentos, habilidades e competências para a vida; ao equilíbrio entre esses conhecimentos e a educação aos valores; e à socialização com as normas de boa convivência social. A dimensão existencial é voltada à ativação das relações humanas e à proposta de um projeto de vida. A dimensão afetiva e relacional é aquela na qual se ativa a acolhida e o cuidado com o outro, assim como a sociabilidade humana, o desenvolvimento da vida afetiva, dos vínculos familiares, o estímulo ao conhecimento. E, por último, a dimensão profissional e tecnológica é a que prioriza a ação educativa sobre a produtiva; a participação e responsabilidade social; o estímulo ao investimento na vida escolar, à perspectiva de desenvolvimento profissional com vistas à produção de renda e à mobilidade social. Palavras-chave: Sistema Preventivo. Clima escolar. Educação Social.

Educação Básica em Tempos de Pandemia


GUILHERME, A.A.; BRITO, R. de O; DANTAS, L.G.; CHERON, C.; BECKER, C.  Educação Básica em Tempos de Pandemia. Brasília: Cátedra Unesco de Juventude Educação e Sociedade, 2020. [ISBN 978-65-87629-02-5] [Baixar em PDF].
São inúmeros os desafios a serem enfrentados neste preocupante cenário de pandemia mundial. Uma doença altamente contagiosa, causada por um vírus desconhecido, exigiu reações imediatas das autoridades que, a exemplo de outros países, determinaram o fechamento das escolas, entre outras medidas. O “Guia de Recomendações Gerais para Reabertura das Escolas”, fruto do esforço conjunto de especialistas da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) e da Universidade Católica de Brasília (UCB), extrapola a intencionalidade de reunir recomendações para a reabertura das escolas. O guia nos convida a refletir sobre o significado e o sentido que os espaços da escola precisam alcançar no pós-pandemia.
A suspensão das aulas presenciais e a rápida transição para um ensino remoto, via plataformas digitais, provocaram uma mudança profunda nas atividades dos gestores, técnicos-administrativos e professores, que, motivados a dar continuidade às suas disciplinas, tiveram de aprender e aplicar novas técnicas e metodologias, antes exclusivas para o ensino a distância. A mudança, porém, foi certamente mais impactante na rotina dos estudantes e das suas famílias. As dificuldades vão desde a disponibilidade de recursos tecnológicos até o acompanhamento dos estudantes, especialmente os mais novos. Sem dúvida há uma sobrecarga de trabalho para todos, mas, ao mesmo tempo, reconhecemos que o prosseguimento das atividades, quer seja por meio de aulas síncronas ou por compartilhamento de materiais em ambientes virtuais de aprendizado, foi (e segue sendo) fundamental para o desenvolvimento cognitivo e, especialmente, para a estabilidade emocional das crianças e dos jovens neste período de isolamento social.

Transdisciplinariedad y Educación del Futuro


DRAVET, F.; PASQUIER, F.; COLLADO, J.; CASTRO, G. (Orgs.). Transdisciplinariedad y Educación del Futuro. Brasilia: Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade, 2019. [Baixar o livro em PDF]

Transdisciplinariedad y Educación del Futuro es el lanzamiento más reciente de la colección de la Cátedra UNESCO de Juventud, Educación y Sociedad de la UCB. El libro está compuesto por artículos de diferentes autores, de diferentes áreas del conocimiento, que se ha centrado en la investigación y ha generado importantes reflexiones sobre la educación transdisciplinaria, es decir, que cubre varias perspectivas epistemológicas, garantizando así una perspectiva más amplia sobre la complejidad que implica ser, aprender, vivir y hacer. Los organizadores del libro son: Dra. Florence Dravet, profesora de la Universidad Católica de Brasilia; Dr. Florent Pasquier, profesor de la Universidad de la Sorbona, París; Dr. Javier Collado, profesor de la Universidad Nacional de Educación de Ecuador y Dr. Gustavo Castro, profesor de la Universidad de Brasilia. Entre los artículos está el de los profesores MSc José Ivaldo Araújo de Lucena, secretario ejecutivo de la Cátedra UNESCO en UCB y el Dr. Luis Síveres, del equipo de lectores de la misma Cátedra.

Artigo cientifico aborda Culturas de Paz


peacebuildingEquipe da Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade (812), publica artigo científico dentro da linha de pesquisa do pós-doutoramento em andamento na Italia, pelo seu Coordenador. Pode ser acessado pelo DOI https://doi.org/10.1590/S0104-40362020002802047    O artigo foi publicado na Revista Ensaio (Qualis A1 em Educação), escrito em lingua inglesa, e intitula-se “Youth leadership and global citizenship: alternatives for peacebuilding in Brazilian public schools“. O artigo encontra-se em sintonia com a temática da pesquisa de pós-doutoramento que o Coordenador da Cátedra Unesco/UCB realiza na Itália, e reflete sobre a difusão de culturas de paz no ambiente escolar. O artigo afirma que a paz é fruto de uma construção social que demanda um processo individual e coletivo de informação e compromisso na construção de um mundo mais justo e inclusivo. A Universidade e a escola, enquanto espaços de educação formal tem um grande potencial como promotores e construtores de paz. O artigo discute esses dois argumentos a partir de uma experiência desenvolvida em duas escolas públicas do Distrito Federal pela Cátedra Unesco de Juventude, Educação e Sociedade da Universidade Católica de Brasília (UCB), a partir de 2015 até o presente. A primeira parte discute-se o presente contexto da juventude a partir de um foco teórico na cidadania global e na centralidade da liderança juvenil para a apropriação de processos de construção de paz. A segunda parte enfatiza o papel da universidade e da escola pública na construção de redes que atuam proativamente na educação dos jovens para a cidadania, preparando-os para o eventual confronto com situações de violência e intolerância. A última parte do artigo volta-se para as experiências de sucesso dos últimos anos, capazes de ativar a prevenção da violência escolar e a construção de uma cidadania global. O estudo mostra que os princípios de educação para a paz e formação da cidadania global inspirados na Unesco são importantes alternativas para a promoção e construção de culturas de paz.

Jovens universitários: entre a inclusão e a exclusão


CALIMAN, G.; VASCONCELOS, I.(Orgs.). Jovens universitários: entre a inclusão e a exclusão. Brasília: Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade, 2019, 180 p. [Baixar livro em PDF]. Resultado de uma pesquisa da Rede IUS internacional, realizada por cinco universidades: a Universidad Politécnica Salesiana (UPS), do Equador; a Universidad Católica Silva Henríquez (UCSH), do Chile; a Universidad Don Bosco (UDB), de El Salvador; a Universidad Salesiana de Bolivia (USB) e a Universidade Católica de Brasília (UCB). Essa pesquisa se encaminha para estudos da UCB sobre inclusão e exclusão juvenil realizados no âmbito brasileiro.
No Brasil, a Constituição Federal determina que crianças, adolescentes e jovens usufruam desse direito em vinculação com outros – direito à vida, à saúde, à alimentação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária.Esse discurso oficial de alta abrangência obriga a sociedade como um todo a educar seus membros, traduzindo essa exigência em políticas públicas, com o apoio da legislação e normas pertinentes. Como essas promessas do discurso oficial se realizam nas instituições de ensino superior? Em particular, nas universidades? No fundo, tais perguntas perpassam os oito capítulos da presente obra, os quais se distribuem em duas partes. Na primeira delas, apresentam-se explicações sobre as juventudes e os modos como ocorrem os mecanismos de sua exclusão e inclusão social, partindo-se de perguntas como: O que é a juventude brasileira? Quais os desafios da educação social? Qual a forma de atuação dos Estados nacionais na área da promoção dos direitos humanos e da proteção destes em relação à juventude? O que é uma universidade inclusiva? Como a exclusão social ocorre na educação superior e de que maneira a universidade poderia concretizar uma efetiva inclusão educacional? Na segunda parte, apresentam-se percepções de jovens estudantes sobre exclusão e inclusão na universidade. Uma pesquisa qualitativo-exploratória traz dados e informações relevantes sobre essas percepções, tendo contado com a participação de 42 jovens estudantes de uma universidade que, sendo confessional, assume publicamente em seus documentos estratégicos o com promisso educacional global com os seus alunos. A diversidade de perfis dos participantes contribuiu muito para enriquecer os cinco grupos focais, cujas discussões foram impulsionadas por três amplas reflexões, colocadas aos participantes: 1) Qual o entendimento de exclusão social; 2) Como a universidade lida com diversas exclusões, inclusive a digital, em circulação por corredores, salas de aula e outros lugares; 3) Quais sentimentos de invisibilidade, enquanto exclusão humana, perpassam o dia a dia acadêmico.
Espera-se que a presente obra contribua para que as universidades concretizem a efetiva inclusão social de seus alunos. Que favoreça também a formação de professores, principalmente, aqueles que atuam na educação superior, posto que as reflexões e as conclusões ora colocadas à disposição dos leitores apontam para o contexto universitário. E que, no âmbito da educação em geral, possa contribuir com uma educação humanística, nos passos dos quatro pilares da Educação para o Século XXI. Estes, em princípio, destinam-se à educação básica, porém, se aplicam também à educação superior, guardando-se as devidas adequações, pois envolvem a contínua renovação do conhecimento.

Seminário Janelas de Oportunidades: da Primeira Infância à Socioeducação


 

Palestra no Auditório do Senado

Dep. Paula Belmonte, Prof. Geraldo Caliman, Prof. Rogério Córdova no Auditório Petrônio Portela do Senado Federal

Prof. Geraldo Caliman participa como palestrante do “Seminário Janelas de Oportunidades: da Primeira Infância à Socioeducação”. Sob o tema “Prevenção da violência na sociedade e na escola”. O evento teve a participação organizacional da Cátedra UNESCO de Juventude Educação e Sociedade.

O tema discutido foi “Caminhos para a construção da cultura de paz no ciclo da vida”, sob a coordenação da deputada federal Paula Belmonte (Cidadania-DF), vice-presidente da Frente Parlamentar Mista da Primeira Infância, com moderação dos debates pela promotora de Justiça do Espírito Santo Andrea Teixeira de Souza, membro da Comissão da Infância e Juventude do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). Antes da apresentação do painel, o Núcleo de Ensinamento de Viola Caipira de Ceilândia apresentou diversas peças do cancioneiro do sertanejo de raiz.

Ao abrir os trabalhos, a deputada federal Paula Belmonte destacou que o próprio nome do seminário já apresenta a chave do que estamos procurando. “Se investirmos na primeira infância, não teremos a necessidade da socioeducação”, disse. Ela ressaltou que se deve investir na educação. Segundo a deputada, um adolescente no socioeducativo custa em média 9 mil reais por mês, enquanto o custo de uma criança na escola não chega a 10% desse valor.

A primeira palestra do painel foi apresentada pelo coordenador da Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade, professor Geraldo Caliman. O tema abordado foi “Perspectivas para a prevenção da violência”. Ele fez uma apresentação das diversas ideologias que influenciam as ações dos assistentes sociais para prevenção da violência nas famílias. O professor evidenciou que muitas dessas ideologias pregam a punição como forma de reeducação dos adolescentes. E essa é, hoje, segundo ele, a maior tendência da nossa sociedade, pois se debate o aumento das penas, a redução da maioridade penal, entre outros temas semelhantes.

Caliman fez uma comparação entre o Positivismo e a Escola de Chicago. A primeira defendia que o indivíduo já nasce culpado, e por isso deve ser socializado; e a segunda dizia que a responsabilidade da infração é da influência social. No Positivismo havia uma tendência a se punir mais para buscar a ressocialização. Na Escola de Chicago a tendência era segregar os indivíduos da sociedade.

O professor finalizou defendendo investimentos na educação. “Se a pessoa aprende a ser delinquente, pode muito bem aprender a conviver pacificamente em sociedade. Na escola deve-se promover a integração do adolescente com a família, a comunidade e as instituições sociais”, disse. E terminou afirmando que na socioeducação deve-se ensinar os valores morais e éticos e, principalmente, ensinar a definir um projeto de vida para que os socioeducandos vejam que há um futuro que podem construir para eles próprios.
[Texto: Noticias do TJDFT]

Universidades Salesianas se reúnem em Quito, Equador


Começou ontem a VIII Conferência das Instituições Universitárias Salesianas (IUS) na América. Presentes, da Universidade Católica de Brasilia, o Reitor, Prof. Jardelino Menegat; o Prof. Eduardo Moresi; o Prof. Geraldo Caliman. O evento acontece na Universidade Politécnica Salesiana em Quito, no Equador, e vai até esta sexta-feira (20), buscando fortalecer o caminho conjunto das Universidades Salesianas das Américas. Como objetivos específicos, a conferência visa: – Promover a reflexão contínua das IUS sobre sua missão à luz dos desafios das sociedades latino-americanas e do desenvolvimento do ensino superior; – Avaliar o trabalho desenvolvido a partir do Programa Comum 5 (2017 – 2021) das IUS da América, aprovado durante a Conferência de  –  Santiago, em Olmué (2017); – Definir as projeções e o plano de trabalho para o período de 2019-2021, conforme estabelecido no Programa Comum 5; – Promover iniciativas de fortalecimento institucional e cooperação acadêmica entre as instituições. Para conhecer a programação da VIII Conferência das IUS na América, clique aqui.

 

Relatório de Pesquisa Internacional em Quito (Equador)


VIII-ConferenciaOs professores Geraldo Caliman e Eduardo Moresi, juntamente com o Prof. Dr. Ir. Jardelino Menegat (Reitor), participam da VIII Conferencia IUS América que se realizará na “Universidad Politécnica Salesiana” do Equador de 17 a 20 de setembro de 2019. O objetivo da Conferência é fortalecer o caminho conjunto das Universidades Salesianas das Américas, organização à qual também a UCB participa como membro. O Prof. Geraldo Caliman expõe os resultados de uma pesquisa (“Caracterização dos processos de inclusão/exclusão social de jovens universitários”) realizada em conjunto com universidades de cinco países da América Latina: a Universidade Politecnica Salesiana (UPS) do Equador; a Universidad Catolica Silva Henriquez (UCSH) do Chile; a Universidad Don Bosco de El Salvador (UDB); a Universidad Salesiana da Bolívia (USB), e a Universidade Católica de Brasília (UCB). Caliman participa como membro das IUS, no grupo de pesquisa em Juventude e em representação da Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade. O Prof. Eduardo Amadeu Moresi participa sob convite para expor aos participantes da Conferência a parceria entre a UCB e a Apple, projeto que se desenvolve há alguns anos destinado a formar os estudantes na área de informática. Para saber mais sobre a VIII Conferencia IUS América: clique aqui

Encontro com o Ministro da Educação


No dia 10 de setembro, em audiência com o Ministro da Educação, Abraham Weintraub e em companhia com o Deputado Evair de Melo relatei as atividades da Cátedra 812 da Unesco que tenho a honra de presidir, sediada a Universidade Católica de Brasilia. O Ministro que na foto tem em mãos alguns dos meus livros, se manifestou disponível a apoiar uma cooperação acadêmica entre o MEC e a Cátedra Unesco de Juventude, Educação e Sociedade. Nossa Cátedra trabalha com pesquisas na área de Prevenção da Violência, Culturas de Paz, Qualidade da Educação.

Aprendizagem Baseada em Desafios (Artigo)


A Doutoranda Hadassah Santana (Orientador: Prof. Caliman) publicou nos anais do EDULEARN19 o seguinte artigo: The use of moot court methodology as an instrument of team basead learning in the law course [baixar em pdf]. Pode ser acessado no EDULEARN por este link. O contexto deste artigo baseia-se no uso da Aprendizagem Baseada em Desafios (CBL), ou a metodologia do tribunal simulado, para verificar, não exaustivamente, a possível transformação das práticas de ensino e aprendizagem no curso do Direito. A partir desse contexto induz-se a compreensão de conceitos teóricos a partir de situações reais e presente no contexto social. O objetivo do texto é verificar se a discussão pode ser evidenciada como formato da metodologia ativa denominada aprendizagem baseada em equipes (TBL). Este artigo pode ser classificado como relato de experiência, no qual a metodologia CBL é utilizada no curso de pós-graduação stricto sensu, com o objetivo de auxiliar os alunos na elaboração de tópicos de pesquisa. Assim, a proposta da CBL é acoplada ao processo de pesquisa, apresentando um tópico de pesquisa relacionado ao enfoque do aluno, cujo estágio de engajamento e definição do desafio são pressupostos para a definição de termos de busca, visando a realização de pesquisa bibliográfica no Scopus e Web of Science A metodologia utilizada baseou-se na seleção de um período específico e seleção de até 4.000 documentos na base de dados Scopus e extração dos metadados completos em CSV, e, em tempo hábil, a seleção de até 2000 documentos Web of Science, importando os metadados para o formato TXT. Após tais ações, foram gerados gráficos de termos co-ocorrência e acoplamento bibliográfico no VOSviewer e exportados em GML para Gephi, executando as seguintes métricas: grau médio, diâmetro de rede, modularidade de classe, PageRank e centralidade de autovetores. O gráfico foi gerado com o algoritmo Force Atlas 2 ou Fruchterman Reingold. Os resultados da pesquisa e a elaboração de questões direcionaram a pesquisa bibliográfica, análise e interpretação das informações, coletadas com o objetivo de elaborar um relatório contendo a proposta de pesquisa referente à prática de ensino e aprendizagem em Direito do Ensino Superior com o uso de metodologia ativa: moot court considerada, no presente trabalho, como parte da metodologia ativa Aprendizagem baseada em equipe. Os documentos recuperados não reúnem os termos moot court e team-based learning, mas os termos gerados a partir da análise dos resultados formam um conjunto de significados semelhantes, dando origem à questão essencial da pesquisa: se moot court pode ser considerada uma metodologia de aprendizagem baseada em equipe. Pode-se concluir que a aplicação do CBL orienta o processo de pesquisa e a elaboração de indicadores bibliográficos qualificados, endossando o processo de construção qualitativa de revisão da literatura do assunto que é proposta e indicando a aproximação do formato de Moot ou simulação de corte ao TBL.

Prevenção ao suicídio na Escola Fundamental: um tema urgente


Participando como examinador na banca “Possibilidades de superação do suicídio entre estudantes do ensino fundamental”: apresentação de pesquisa de Mestrado hoje do estudante Elias Pereira de Lacerda. Os princípios metodológicos da Pedagogia Social presentes na prevenção ao suicídio de adolescentes e jovens. Parabéns Luiz Síveres que orientou o trabalho.

“No mundo atual, cada vez mais fragmentado e líquido, as pessoas parecem se tornar invisíveis umas para as outros, caracterizando uma sociedade surda, cega e muda. A busca pelo ter faz com que as pessoas se esqueçam, muitas vezes, que são seres humanos repletos de valores e sentimentos, chegando ao ponto de se tornarem excluídos invisíveis, ignorando as causas e sinais do fenômeno do suicídio de pessoas em sofrimento ao seu lado. Nesse cenário, a realização de uma pesquisa oferece reflexões sobre o tema Possibilidades de Superação do Suicídio entre Estudantes do Ensino Fundamental como forma de contribuir para que o indivíduo se torne visível e demonstre os fatores de proteção que têm contribuído para entender que viver é a melhor opção. Este trabalho teve como objetivo geral identificar as causas da tentativa de suicídio e os possíveis fatores de superação entre estudantes do Ensino Fundamental e buscou perceber possíveis causas e sinais de suicídio no aluno; capturar as possibilidades voltadas para a superação do suicídio entre os alunos do Ensino Fundamental e identificar as pessoas e instituições e suas contribuições para a superação do suicídio entre alunos do Ensino Fundamental. Trata-se de uma pesquisa de natureza qualitativa-exploratória, que lançou mão do estudo de campo, gerando dados mediante a entrevista semiestruturada. A análise dos dados possibilitou ao pesquisador a inferência e a interpretação dos dados. Os resultados evidenciam possíveis causas do suicídio entre alunos do Ensino Fundamental, como a falta de atenção da família, bullying, automutilação, depressão e invisibilidade. Em relação aos sinais de suicídio apareceu o comportamento antissocial e a solidão. A música e o choro prevaleceram entre os fatores de proteção. Ainda, a figura materna e os amigos contribuíram com diálogo e acolhimento. O estudo, ao final, apresenta algumas recomendações voltadas aos sinais, causas, estratégias e contribuições de pessoas e instituições para a superação do suicídio entre alunos nesse nível de escolaridade” (Elias Lacerda – Abstract).

UCB envia 17 professores para Pós-Doutorado no Exterior através da FAP/DF


A Reitoria da Universidade Católica de Brasília (UCB) homenageou 17 professores dos Programas de Pós-Graduação da Instituição que foram selecionados pelos editais 63/2019 e 72/2019, da Fundação de Apoio a Pesquisa do Distrito Federal (FAP/DF), para realizarem os cursos de Pós-Doutoramento (Pós-Doc) no exterior. O envio de tantos professores de uma só vez é inédito dentro da Instituição. Prof. Geraldo Caliman fará seu Pos-doc na Itália durante o ano de 2020.

A intensão da Universidade, com a formação de professores no exterior é, logicamente, ter um corpo docente altamente capacitado e atualizado, bem como fechar parcerias com IES de outros países, facilitando assim o intercâmbio de discentes e docentes. “Temos interesse em fechar novas parcerias, criar novos laços com outras instituições, por isso cada um de vocês levará uma carta assinada pelo reitor acentuando a nossa intenção de diálogo”, disse o pró-reitor de Administração.

Prof. G. Caliman participa de Assembleia do ChildFund Brasil


O prof. Geraldo Caliman participa entre os dias 13 e 15 da Assembleia do ChildFund Brasil, na sede da Fundação Dom Cabral em Belo Horizonte. Uma das ONGs mais respeitadas em governança no Brasil. Desde 1966, o ChildFund Brasil é uma organização de desenvolvimento social que por meio de uma sólida experiência na elaboração e no monitoramento de programas e projetos sociais mobiliza pessoas para a transformação de vidas. Crianças, adolescentes, jovens, famílias e comunidades em situação de risco social são apoiadas para que possam exercer com plenitude o direito à cidadania. No Brasil, a organização beneficia, por meio de projetos sociais, mais de 140 mil pessoas, das quais mais de 42 mil são crianças, adolescentes e jovens. Para isso, o ChildFund Brasil conta com a parceria de 45 organizações sociais, que atuam em mais de 40 municípios.

É possível educar para culturas de paz em ambientes que transpiram violência?


A violência é um tema da atualidade e parece estar incidindo sempre mais nas relações interpessoais, principalmente na sociedade brasileira.

Ela tende a nascer e se desenvolver dentro de ambientes que transmitem culturas de violência. Como nossas crianças e adolescentes absorvem essas influências culturais? É possível educar para culturas de paz em ambientes que transpiram violência? O cuidado com os adolescentes e jovens que frequentam a socioeducação nos desafia a procurar respostas para algumas dessas perguntas. A Vara de Execução de Medidas Socioeducativas do DF, representada pela Juíza Dra. Lavínia Tupy Vieira Fonseca e seus colaboradores – como a Dra. Ivânia Ghesti, analista judiciária do TJDFT na área de psicologia, atuando com foco na Primeira Infância -, juntamente com a Cátedra Unesco de Juventude, Educação e Sociedade estão entre aqueles que buscam respostas e soluções para ajudar a escola, a família e a sociedade a educar seus filhos dentro de uma perspectiva voltada às culturas de paz. Projeta-se, neste sentido, um Congresso Internacional intitulado “Prevenção da Violência: da Primeira Infância à Socioeducação”. Se possível de ser realizado um Congresso voltado a esse tema seria muito importante para o setor pois tende…
– a buscar na academia as luzes para entender as raízes da violência e as melhores estratégias preventivas para uma educação orientada às culturas de paz;
– a criar sintonia e sincronia nas ações dos profissionais da educação social;
– a vislumbrar metodologias inspiradas na Pedagogia Social, voltadas ao atendimento da Primeira infância, dos adolescentes e jovens, de modo especial àqueles que necessitam dos serviços do sistema socioeducativo;
– a aprofundar temas muito presentes na vida das crianças, adolescentes e jovens, como a drogadição, a fragilidade dos laços familiares, o tempo ocioso e a motivação para a escola e a aprendizagem.