Comemorando 43 anos de UCB: Lançamento de Livros da Coleção Juventude, Educação e Sociedade


No dia do aniversário de 43 anos da Universidade Católica de Brasília, a Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade e o Programa de Pós-Graduação Mestrado e Doutorado em Educação da UCB, realizaram o evento intitulado “Dilemas do pesquisador na Pós-Graduação: da teoria à prática”. O evento promovido em 23/03, das 9h às 12h, no Auditório do Campus II da UCB, teve como objetivo refletir sobre as teorizações e práticas da investigação científica na pós-graduação. Para aprofundar a discussão o público presente teve a oportunidade de participar da palestra do Prof. Dr. Ivar César Oliveira de Vasconcelos (docente do Mestrado da UCB) sobre os dilemas do pesquisador na pós-graduação. Durante o evento foi também realizado o lançamento de quatro livros, frutos de pesquisas promovidas por docentes e estudantes do Programa de Pós-Graduação da UCB: A pesquisa em Educação no Brasil: novos cenários e novos olhares; e Políticas de Educação: cenários globais e locais, organizados pelos Professores Doutores Wellington Ferreira de Jesus e Célio da Cunha (Coleção Juventude, Educação e Sociedade da Cátedra UNESCO-UCB); A educação básica brasileira no século XXI: dilemas, desafios, limites e possibilidades, Prof. Dr. Wellington Ferreira de Jesus (org);  Estudo de caso interativo: fácil entender, decidir e executar, de autoria do Prof. Dr.  Ivar César Oliveira de Vasconcelos. Na mesa de abertura tomaram a palavra: O Prof. Dr. Luiz Síveres Coordenador do Programa de Educação; O Prof. Cândido Gomes; O Prof. Geraldo Caliman, Coordenador do Comitê Editorial da ‘Coleção Juventude, Educação e Sociedade’, editada pela Cátedra Unesco-UCB; e a Profa. Ranilce Guimarães-Iosif.  Organizadores: Professores Doutores Wellington Ferreira da Jesus, Célio da Cunha, Ivar César Oliveira de Vasconcelos e Dra. Ranilce Guimarães-Iosif e a Assistente do Programa de Pós-Graduação em Educação, Kamilla Soares Carvalho

Professor da PennState University na UCB


MarkBrennan Universidade Católica de Brasilia recebeu a visita do Prof. Mark Brennan, da Universidade da Pensilvânia. Ele coordena uma Cátedra da UNESCO dedicada aos estudos sobre o desenvolvimento de lideranças em meio à juventude rural. Nossa Cátedra Unesco, coordenada pelo Prof. Geraldo Caliman, participa da “Global Network of UNESCO Chairs on Children, Youth, and Community”.  O Prof. Brennan é também responsável pela edição do “UN Word Youth Report 2016″ (Relatório das Nações Unidas sobre a Juventude 2016). Ele proferiu uma Conferência na Universidade intitulada “Sem Defesa da Paz, Jovens como Agentes de Mudança e Construtores de Paz através da UNESCO”. Falou sobre os conceitos de Empatia, sobre a necessidade da escuta aos jovens e sobre a dimensão comunitária da vida social: conceitos essenciais para a Educação, em especial para a Educação Social. O evento foi promovido pela Escola de Educação e pela Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade da UCB.

Qualis dos Livros publicados pela Cátedra



Dois dos cinco livros publicados em 2014 pela Cátedra Unesco de Juventude, Educação e Sociedade foram classificados no QUALIS Livros entre os 7,5% mais bem avaliados num total de mais de dois mil títulos da área da Educação. Entre os cinco livros publicados em 2014 pela Cátedra dois foram avaliados com conceito L4, dois com L3 e um com L2.  Reportamos na imagem os cinco avaliados, que são da Coleção Juventude, Educação e Sociedade publicados em 2014. O mérito vai para a tarefa coletiva dos leitores desta Cátedra como também dos Professores do Programa de Mestrado e Doutorado em Educação da UCB. Cerca de vinte Universidades compõem a Rede de Pesquisas da Cátedra Unesco-UCB, em vários países do mundo. O Qualis livros tem classificações que vão de L4 (melhor classificado), a LSC é Livro Sem Classificação).

Cartunista Representa Freire e Dom Bosco se Entendendo na Prática Pedagógica


dbosco-pfreire022O ex Cartunista do Pasquim e jornalista Claudius Ceccon, presente no Congresso “Buenos Ciudadanos y Sistema Preventivo”, na Universidad Politécnica Salesiana do Ecuador (26 a 28 de outubro de 2016) brindou os participantes com uma espetacular charge de Paulo Freire e Dom Bosco, os personagens mais citados no Congresso. O Cartunista fundou uma ONG do Rio de Janeiro (CECIT) dedicada à educação de jovens de periferia e que atua no estilo da Pedagogia Preventiva de Dom Bosco. Segundo Ceccon “a analogia pedagógica de Freire e Bosco se evidencia nas práticas pedagógicas em três momentos: a) Organização: caracterizada pelo rigor da seleção dos participantes, criando condições  para potenciar suas capacidades; b) Diálogo: paixão pelas pessoas, aproximação empática; c) Humor: permite abrir a natureza do ser humano. É a arma do oprimido contra as armas do opressor. Em Dom Bosco a “amorevolezza” e em Freire a amorosidade, são elementos inatos da pessoa que podem desenvolver-se como resposta e proposta à constante problemática de todo jovem”

As informações abaixo são retiradas do site itaucultural, a respeito de Ceccon:

Claudius Sylvius Petrus Ceccon (Garibaldi, RS, 1937). Arquiteto, designer, jornalista, desenhista, ilustrador e cartunista. Trabalha no jornal O Cruzeiro como auxiliar de paginador, em 1954. Três anos mais tarde, faz caricaturas para o Jornal do Brasil. No início década de 1960, cursa desenho industrial na Escola Superior de Desenho Industrial (Esdi), no Rio de Janeiro. Na mesma cidade, trabalha na revista Pif Paf. Passa a integrar, em 1969, a equipe do jornal O Pasquim, no qual também trabalham os desenhistas e humoristas Millôr Fernandes (1923-2012), Jaguar (1932), Ziraldo (1932) e Fortuna (1931-1994). Após ser preso pelo regime militar brasileiro,1 em 1971, exila-se em Genebra. Lá, tem contato com o educador Paulo Freire (1921-1997), com quem funda – juntamente com Rosiska Darcy de Oliveira, Miguel Darcy de Oliveira e Babette Harper – o Instituto de Ação Cultural (Idac), por meio do qual trabalha em projetos de alfabetização em países africanos de língua portuguesa até 1975. Ao voltar para o Brasil, em 1978, trabalha com alfabetização em bairros carentes de São Paulo, também pelo Idac, junto ao arcebispo dom Paulo Evaristo Arns (1921).

Quito: Congresso “Buenos Ciudadanos y Sistema Preventivo”


ups-calimanA Universidade Politécnica Salesiana de Quito, Ecuador, tem quase trinta mil estudantes. Organizou na semana passada (26 a 28 de outubro) um Congresso intitulado “Buenos Ciudadanos y Sistema Preventivo”. Participaram do Congresso cerca de 300 pessoas, entre os dirigentes e estudantes da Universidade. No primeiro dia, quarta feira, proferiram conferencia os professores Geraldo Caliman, (Universidade Católica de Brasília), Amauris Laurencio (Universidade de Havana, Cuba), e Claudius Ceccon (Ex Cartunista do Pasquim – Brasil).  O Prof. Geraldo Caliman, representando a Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade da Universidade Católica de Brasília mencionou a construção de uma pedagogia social como pedagogia salesiana voltada à formação humana, onde existem outros espaços além dos escolares, como a família, a convivência humana, os movimentos sociais. “As metodologias da Pedagogia Social ressaltam prioritariamente as relações humanas, que incluem o afeto, a racionalidade, a tecnologia e a dimensão existencial que dão sentido à construção de um projeto de vida”, mencionou Caliman. Ressalta-se a participação da inteira gestão daquela Universidade no evento, entre Reitor, Pro-Reitores, alem dos estudantes muito motivados.  Mais noticias no site: http://www.ups.edu.ec/noticias?articleId=7878186&version= 

Pesquisadores de Cinco Universidades Salesianas reunidos em Quito


ius-quitoSerá que as Faculdades e Universidades Salesianas conseguem fazer com que seus alunos se integrem na sociedade de hoje? Ou que eles participam mais como cidadãos? Como esses jovens se percebem pertencendo a uma Universidade com identidade “Salesiana”? São algumas das perguntas que as Instituições Universitárias Salesianas (IUS) se fazem. A investigação “CARACTERIZACIÓN DEL PROCESO INCLUSIÓN/EXCLUSIÓN EN JÓVENES UNIVERSITARIOS DE LA RED IUS” pretende sistematizar a percepção do fenômeno da exclusão/inclusão social por parte de estudantes universitários de ambos os sexos, entre 18 e 24 anos em 5 Universidades da rede IUS, mais especificamente: a Universidade Católica Silva Henriquez (Chile), a Universidad Politécnica Salesiana (Ecuador), a Universidade Católica de Brasília (UCB), a Universidad Salesiana de Bolívia (USB) e a Universidad Don Bosco de El Salvador (UDB).

Pesquisadores dessas universidades se reuniram na Universidade Politécnica Salesiana de Quito (UPS), Equador nos dias 24 e 25 de outubro, para discutir a metodologia dessa pesquisa, a ser aplicada a estudantes das cinco Instituições. O Prof. Geraldo Caliman participa da equipe pela Católica de Brasília. A UPS, que sedia o encontro, por sua vez, conta com 28 mil estudantes, a maioria das classes populares, e é a quarta maior universidade do país (Equador).

Seminário Internacional “Juventude Universitária e Direitos Humanos”


mesa3Dia 19 de Outubro, aconteceu o Seminário Internacional “Juventude Universitária e Direitos Humanos”.  Veja aqui a PROGRAMAÇÃO.  Estiveram presentes na mesa de abertura o Magnífico Reitor da UCB, Prof. Dr. Gilberto Garcia, tambem Presidente do Conselho Nacional de Educação (CNE); os oficiais da UNESCO Sr. Fábio Eon e Sra. Mariana Braga; a Diretora da Escola de Educação, profa. Christine Maria Soares de Carvalho e o Coordenador da Cátedra Unesco de Juventude, Educação e Sociedade. “Uma vez que as guerras se iniciam nas mentes humanas, é nas mentes humanas que devem ser construídas as defesas da paz” (UNESCO).  Por meio de percepções de jovens universitários, propusemo-nos a coletar evidências do legado transmitido a eles pelas gerações mais vividas, do momento presente e do que se pode esperar do futuro, relacionadas ao tema dos Direitos Humanos. Realizamos uma pesquisa sobre o tema junto a essa população acadêmica, cujos resultados e conclusões vêm se juntar, parcialmente, no livro Juventude Universitária: Percepções sobre Justiça e Direitos Humanos, às contribuições de sete pesquisadores de universidades internacionais (Itália, Espanha, Portugal e México) e de seis outros pesquisadores de universidades brasileiras. Sobre esta obra, assim se exprime José Machado Pais, expert internacional sobre Juventude, professor e coordenador do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa. “O questionamento das percepções dos jovens universitários sobre justiça e direitos humanos é um convite para que reflitamos no futuro das nossas sociedades. E porque assim é, em mãos temos um livro que nos desafia a imaginar o futuro como reconstrução de um presente cujo teto cultural (de valores, direitos humanos, ética e justiça) se entrecruza com um solo vital (de desigualdades sociais e constrangimentos econômicos). Num estudo onde a esperança de um futuro melhor é debatida, não só no Brasil como noutras latitudes geográficas da América Latina e da Europa, o que descobrimos é que as percepções e aspirações juvenis se jogam num campo de tensões sociais entre discriminação e emancipação, individualismo e solidariedade, sobrevivência e direito a uma vida digna. Poderão estes dilemas ser pensados fora dos processos educacionais?”

Evento Cientifico na Universidade de Caxias do Sul


Nos dias 21 a 23 de setembro o Coordenador da Cátedra Unesco de Juventude, Educação e Sociedade participou da “II Jornada Internacional de Cultura de Paz, Direitos Humanos e Meio Ambiente” realizado na Universidade de Caxias do Sul – UCS, em Caxias do Sul – RS. Ministrou palestra intitulada “Pedagogia Social: Juventude Universitária e Direitos Humanos”. O evento foi promovido pelo Programa de Pós-Graduação em Filosofia e pelo Centro de Ciências Humanas e da Educação.  O objetivo do evento era de proporcionar um espaço de diálogo e reflexão sobre educação e cultura de paz para o fomento de um olhar sensível ao humano e suas circunstâncias na sociedade contemporânea. A Universidade de Caxias do Sul sedia o “Observatório de Cultura de Paz, Direitos Humanos e Meio Ambiente”, coordenado pelo prof. Dr. Paulo César Nodari, leitor da Cátedra Unesco da UCB. 

Os Jesuítas no Brasil: entre a Colônia e a República


jesuitasOs Jesuítas no Brasil: entre a Colônia e a República (Carlos Angelo de Meneses Sousa e Maria Juraci Maia Cavalcante, Org.).

O Prof. Dr. Carlos Ângelo, Leitor da Cátedra Unesco de Juventude, Educação e Sociedade e professor do Programa de Doutorado em Educação da UCB, juntamente com a Profa. Dra. Juraci Cavalcante, Coordenadora da Linha de História da Educação Comparada da UFC organizaram a presente obra, fruto de uma arrojada rede de pesquisadores, que se debruçou sobre a presença e atuação educacional de uma das mais significativas ordens religiosas da Igreja Católica, a Companhia de Jesus ou os Jesuítas. Sua ação percorre nossas terras desde os tempos coloniais, até a República no início do século XX. Não é à toa que os filhos de Inácio de Loyola estão presentes na história da educação brasileira, como nos recordava Fernando de Azevedo e outros eminentes pensadores brasileiros, tanto enaltecendo a sua obra educativa quanto criticando-a, mas sempre recordando de sua forte e marcante presença.

Publicação Cátedra UNESCO: Diálogo um Principio Pedagógico (de Luiz SIVERES)


dialogo-siveres018Diálogo: um Principio Pedagógico (de Luiz SIVERES). O diálogo é um elemento inerente à condição humana e, portanto, está presente na constituição da identidade dos indivíduos e na realização de sua sociabilidade. Neste caso, o diálogo é um atributo singular de cada membro da sociedade, mas principalmente, uma característica essencial das relações sociais. Para desenvolver essa temática, inserida no contexto atual da educação, o livro: Diálogo – um princípio pedagógico procurou compreender o conceito de diálogo, historicamente situado, e entender como ele poderia fazer-se presente na reflexão e na prática educativa, caracterizando-se, assim, como um princípio pedagógico. Nesta obra, o conjunto dos artigos tem como dinâmica integradora o entendimento do diálogo como um princípio e um processo pedagógico. Portanto, tal conjunto assume um procedimento tridimensional que articula o ser, o saber e o agir pedagógico, bem como a noção de processo que, pela reflexão e prática educativa, estaria contribuindo com o percurso educacional.

Juventude Universitária Percepção de Justiça e Direitos Humanos


JuvUnivDirHum002Publicado pela Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade: CALIMAN, G.; VASCONCELOS, J.I. (Orgs). Juventude Universitária: Percepção sobre Justiça e Direitos Humanos. Brasília: Cátedra Unesco-UCB; Liber, 2016 (ISBN: 978-85-7963-148-1). Conforme a Constituição da UNESCO (2002), “Uma vez que as guerras se iniciam nas mentes dos homens, é nas mentes dos homens que devem ser construídas as defesas da paz”. Por meio das percepções destes jovens universitários, podemos colher indícios do que a nossa geração lhes legou, de qual é o presente e do que se pode esperar do futuro. Uma pesquisa sobre Direitos Humanos no meio Universitário com a participação de sete pesquisadores de Universidades Internacionais (Itália, Espanha, Portugal, México) e sete pesquisadores de Universidades Brasileiras. Assim se exprime José Machado Pais, expert internacional sobre Juventude, licenciado em Economia e doutorado em Sociologia, Investigador Coordenador do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa e Professor Catedrático Convidado do ISCTE/Instituto Universitário de Lisboa (Portugal) a respeito desta publicação:  “O questionamento das percepções dos jovens universitários sobre justiça e direitos humanos é um convite para que reflitamos no futuro das nossas sociedades. E porque assim é, em mãos temos um livro que nos desafia a imaginar o futuro como reconstrução de um presente cujo teto cultural (de valores, direitos humanos, ética e justiça) se entrecruza com um solo vital (de desigualdades sociais e constrangimentos económicos). Num estudo onde a esperança de um futuro melhor é debatida, não só no  Brasil como noutras latitudes geográficas da América Latina e da Europa, o que descobrimos é que as percepções e aspirações  juvenis se jogam num campo de tensões sociais entre discriminação e emancipação, individualismo e solidariedade, sobrevivência e direito a uma vida digna. Poderão estes dilemas ser pensados fora dos processos educacionais?” Você pode baixar o livro em PDF

Conferência em Congresso na Universidade de Rio Verde, GO


RioVerde2

IMG_6881

Prof. Geraldo Caliman, Coordenador da Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade participou, na Universidade de Rio Verde (GO) do Congresso de Iniciação Cientifica, entre 6 e 8 de junho. O professor proferiu Conferência sobre “Pedagogia social e direitos humanos”. E de uma Mesa Redonda com o tema: “O papel do educador social em instituições educacionais e não educacionais”.

O congresso tem como objetivo estimular a produção científica e divulgar os resultados obtidos nos programas de Iniciação Científica para aumentar o intercâmbio de informações entre pesquisadores, profissionais, estudantes, técnicos e a comunidade.  O evento foi destinado para estudantes de graduação de todas as instituições de ensino superior e profissionais das diversas áreas do conhecimento. Houve apresentação e premiação dos melhores trabalhos. Durante o congresso foram realizadas palestras, mesas redondas, apresentação oral dos trabalhos selecionados, apresentação de painéis, oficinas e divulgação dos melhores trabalhos. Para acessar os anais clique aqui.

Secretaria da Criança DF e Cátedra Unesco-UCB promovem Seminário pelo fortalecimento da política de saúde mental no sistema socioeducativo


Secria5A Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade (Cátedra 812 da Unesco) promove, com presença de seu Coordenador, Prof. Dr. Geraldo Caliman, e do Secretario da Secretaria da Criança do DF, o Seminário “Da invisibilidade ao cuidado: pelo fortalecimento da política de saúde mental no sistema socioeducativo”. No auditório do Campus II da UCB, nos dias 23 e 24 de maio de 2016.

Quando um adolescente quebra a vidraça da escola é porque essa vidraça já quebrou há muito tempo dentro dele. A primeira tendência das pessoas que observam certos comportamentos dos jovens é pela punição. Infelizmente as pessoas têm resistência apensar no que leva, influencia, provoca essas reações. Antes de quebrarem os vidros de uma janela provavelmente já se quebraram as oportunidades daquele adolescente crescer em uma família, em um ambiente, em uma cultura apropriadas para o ajudarem no processo de crescimento e de formação para a vida para a qual se prepara. Por isso a insistência em falar em “Direitos” Humanos. Não é que os acadêmicos e intelectuais se esqueçam do valor dos “Deveres”; mas é preciso lembrar para a sociedade que alguém está pisando no calo de muitos jovens e se eles reagem, às vezes até agressivamente, é porque uma razão existe. Então, o que custa refletir sobre o que está dando errado na educação dos adolescentes e jovens, antes mesmo de manda-los para uma prisão? O adolescente que comete ato infracional assim como alguém com transtorno mental tem muito em comum, especialmente do ponto de vista social. Ambos conhecem a exclusão e a intolerância, sendo quase sempre compreendidos como alguém que não se adaptou às regras sociais. Historicamente o tratamento dado a essas pessoas se constitui em uma reclusão repressora e excludente, ficando segregadas em espaços direcionados àqueles que “necessitam” ser corrigidos, punidos e vigiados. Como repensar esse modelo? Esse Seminário vem refletir e discutir sobre esse tema tão complexo e instigante.

A programação conta com palestras e debates sobre a Reforma Psiquiátrica, a Rede de Atenção Psicossocial, Saúde mental infanto-juvenil, Política sobre drogas e Redução de danos, Violência, exclusão social, Justiça infanto-juvenil. Alem de trocas de experiências entre os profissionais do ramo, no que tange a atenção em saúde mental de adolescentes e servidores do Sistema Socioeducativo do DF.

Artigo: Pedagogia Social, Relações Humanas e Educação


Mediação3
O artigo de Caliman intitula-se “Pedagogia Social, Relações Humanas e Educação” e está centralizado na necessidade de criar um ambiente educativo que se assemelhe a uma comunidade educativa, favorável ao desenvolvimento da criança e do adolescente em contexto escolar. O autor discorre, no capítulo, sobre as dimensões da ação sociopedagógica de inspiração humanista, considerando as dimensões racional, relacional, existencial e profissional; Metodologias que priorizam as relações humanas; mas que aceitem os jovens dialogando a partir de um “ponto acessível à mudança”. Finaliza com provocações de como ativar, em contexto escolar, as relações humanas, obtendo benefícios eficazes para a formação e educação das crianças e adolescentes.

O artigo encontra-se no livro “Educação Básica: Concepções e Práticas”, publicado pela Uninove (SP), pp. 187-203. Resulta de um esforço coletivo de pesquisadores do Departamento de Educação da Uninove, que, junto à Secretaria Municipal de Educação de SP, em fins de 2014, reuniram em um Congresso pesquisadores de diversas nacionalidades e universidades em torno do tema das “Práticas Pedagógicas da Educação Básica”.